Nossa Proposta

chakrasPensamos que é hora de uma profunda reflexão sobre nosso modo de vida e a imensidão de nossos equívocos. Precisamos decidir se vamos continuar nessa corrida desenfreada, ansiosos, preocupados, construindo doenças, dores e sofrimentos, ou se vamos desvendar o nosso psiquismo, compreender as finalidades da vida e buscar novos rumos, visando a nossa felicidade. A Terapêutica das “Personalidades Múltiplas” e “Subpersonalidades” é mais um eficiente recurso a nossa disposição para sanar essas dificuldades. Estudos sobre os elementos psíquicos não são novidade. Os psiquistas, Aksakof, William Krooks, Barão de Reichenbach, Hyppolite Baraduc, L. Lefranc, Charles Lancelin e tantos outros, estudaram e pesquisaram o desdobramento do “Agregado Humano” em corpos. Eles pesquisaram a constituição do ser homem-espírito. Os psicólogos Pierre Janet, William James e Jung não pesquisaram corpos, mas sim as “Personalidades Múltiplas” e “Subpersonalidades”. Eles pesquisaram as projeções do agregado, os desdobramentos da consciência. Os Espíritos André Luiz e Joanna de Ângelis estudaram e ainda continuam a estudar as manifestações das “Personalidades Múltiplas” e “Subpersonalidades” no dia-a-dia de nossas vidas. Nós estamos estudando, pesquisando e aprendendo como tratar terapeuticamente esses elementos e buscando conhecer melhor suas propriedades, morfologia, etc.

Animismo e Espiritismo

Penso como Bozzano, que, para uma compreensão mais profunda e completa do ser homem-espírito, não podemos dissociar o aspecto anímico do espiritual, já que ambos são complementares. Segundo Bozzano: “Nem um, nem outro logra, separadamente, explicar o conjunto dos fenômenos supranormais. Ambos são indispensáveis a tal ponto que não podem separar-se, pois que são efeitos de uma causa única e esta causa única é o espírito humano que, quando se manifesta, em momentos fugazes durante a encarnação, determina os fenômenos anímicos e quando se manifesto mediunicamente, durante a existência desencarnada, determina os fenômenos espiríticos. (Bozzano, Ernesto, 1987)”

Conceito de Agregado Humano

O Agregado Humano é o conjunto de estruturas que serve de veículo de sustentação ou suporte para as manifestações do espírito. Enquanto encarnado, é composto dos seguintes elementos (principais):

• Sete corpos;
• Sete níveis para cada corpo;
• Sete subníveis para cada nível;
• Sete chacras principais;
• Vinte e um chacras secundários;
• Três nadis principais (Sushumna – do chacra da coroa ao chacra da base. Ida – do cóccix à narina esquerda. Pingala – do cóccix até à narina direita
• Catorze meridianos principais.

A Desestabilização do Agregado Humano (conjunto perispiritual)

A desestabilização do Agregado Humano ou “estrutura perispiritual” ocorre pela necessidade de reciclar memórias, conceitos e informações desatualizadas, armazenadas nos corpos, níveis e subníveis. Daí surgem distorções na manifestação da personalidade física, gerando desdobramentos de “subpersonalidades” e também o acordar de “personalidades múltiplas”, desarmônicas, vividas em outras existências. Em nossa ótica e experiência prática, o Agregado Humano desdobra-se em corpos, que se desdobram em níveis, que se desdobram em subníveis, os quais podem ser acessados e tratados mentalmente, em sua estrutura e registros com grande facilidade quando desdobrados, mas não podem ser incorporados. Este agregado formado por corpos, níveis, subníveis, chacras, nadis e meridianos, dão ao espírito (individualidade) condições de produzir e arrojar a partir do “eu pessoal”, “personalidade física” ou “ego”, duas modalidades principais de projeções positivas ou negativas, que são as subpersonalidades e as personalidades múltiplas. Estas sim podem ser incorporadas e tratadas terapeuticamente, de diversas formas, quando negativas. Jung* realizou interessantes estudos sobre as desarmonias da consciência e percebeu, claramente, essas dissociações de personalidades.